Anuncie neste site

Investimento mínimo para se ter uma arma de fogo em casa ou no trabalho é de R$ 3,7 mil


Foto: Divulgação - Para se chegar a este valor, a Agência Brasil, órgão de comunicação do Governo Federal, realizou levantamentos dos preços médios das armas de calibres permitidos (.38 / .380 / .22 / .36).
Foto: Divulgação - Para se chegar a este valor, a Agência Brasil, órgão de comunicação do Governo Federal, realizou levantamentos dos preços médios das armas de calibres permitidos (.38 / .380 / .22 / .36).

Publicado em 17/01/2019 08:24 - Categoria: Policial

O cidadão que decidir adquirir um revólver ou pistola com base nas novas regras para a posse de armas de fogo no Brasil desembolsará, no mínimo, cerca de R$ 3,7 mil para regularizar sua situação, cumprindo todos os pré-requisitos exigidos. O valor inclui a aquisição da arma e a obtenção dos documentos necessários.

 

Para se chegar a este valor, a Agência Brasil, órgão de comunicação do Governo Federal, realizou levantamentos dos preços médios das armas de calibres permitidos (.38 / .380 / .22 / .36), obtidos por meio de pesquisas realizadas em sites de diferentes lojas especializadas nestes tipos de produtos na internet.

 

O revólver mais barato encontrado, um calibre .38 de cinco tiros, custa a partir de R$ 3,1 mil. As mesmas lojas oferecem revólveres calibre .22 a partir de R$ 4 mil. A pistola de mesmo calibre custa a partir de R$ 6 mil. Um revólver .36 pode ser adquirido por R$ 4 mil e a pistola .380 a partir de R$ 5 mil.

 

Outros custos além da aquisição da arma de fogo

 

A aquisição de uma arma ainda envolve outros custos. É preciso, por exemplo, pagar R$ 88,00 para a Polícia Federal (PF) a fim de obter o registro necessário para manter o revólver em casa ou no local de trabalho. Com a publicação do novo decreto, a validade do certificado de registro aumentou de 5 para 10 anos.

 

O decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) também estipula que, ao solicitar o registro de posse, o interessado que vive ou trabalha em local com crianças, adolescentes ou pessoa com deficiência mental deve declarar possuir cofre ou local seguro com tranca para armazenar a arma de fogo.

 

Avaliação psicológica

 

O candidato que comprar um revólver ou pistola também precisa se submeter a uma avaliação psicológica que confirme que ele está apto a possuir uma arma em casa ou local de trabalho. Para ser aceito, o laudo deve ser emitido por um profissional devidamente habilitado e credenciado pela Polícia Federal (PF).

 

A relação de psicólogos credenciados em todo o país está disponível no site da PF. O custo da avaliação, no entanto, é referenciado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP). A tabela de honorários ainda disponível no site do conselho sugere os preços mínimo (R$ 280,87) e máximo (R$ 655,36).

 

Capacidade técnica e certidões

 

A legislação estabelece a obrigatoriedade de o candidato comprovar capacidade técnica para manusear a arma. A relação de instrutores de armamento e tiro credenciados também está disponível no site da PF. O valor cobrado pelo teste é de R$ 80,00 + munição gasta e aluguel da arma (se necessário).

 

Os demais documentos exigidos, como as certidões negativas de antecedentes criminais e de que o interessado não está respondendo a inquérito policial ou a processo criminal, podem ser obtidas pela internet, sem custos, nos sites da Justiça Federal, Estadual, Militar e Eleitoral.

Compartilhe: