Anuncie neste site

Governo Carlesse exonera delegados de 12 regionais do Tocantins, incluindo o de Guaraí


Foto: Divulgação - Entre os 12 delegados exonerados está o que comandava a regional de Guaraí, Dr. Adriano Carrasco dos Santos. Apesar de não responder mais como responsável regional, ele vai continuar trabalhando em Guaraí.
Foto: Divulgação - Entre os 12 delegados exonerados está o que comandava a regional de Guaraí, Dr. Adriano Carrasco dos Santos. Apesar de não responder mais como responsável regional, ele vai continuar trabalhando em Guaraí.

Publicado em 17/11/2018 12:38 - Categoria: Policial

O Governo do Tocantins exonerou na noite desta última sexta-feira (16/11), os 12 delegados regionais da Polícia Civil do Estado, incluindo o que comandava a regional de Guaraí, Dr. Adriano Carrasco dos Santos. O ato pegou todos de surpresa, especialmente por envolver profissionais que comandavam investigações de políticos ligados ao governador Mauro Carlesse (PHS).

 

Entre os exonerados, está o delegado regional de Araguaína, Bruno Boaventura, que comanda atualmente a investigação sobre um galpão encontrado com quase 200 toneladas de lixo hospitalar irregular. Um dos envolvidos no caso é o juiz eleitoral aposentado João Olinto, pai do deputado estadual Olyntho Neto (PSDB), líder de governo na Assembleia Legislativa do Tocantins (AL/TO).

 

O Governo do Estado não explicou nos atos qual a finalidade das exonerações, mas vale destacar que os delegados regionais foram retirados apenas de suas funções de comando, e, portanto, continuam trabalhando em suas respectivas unidades de lotação, de onde só podem ser removidos se houver o interesse pessoal ou por decisão colegiada do Conselho Superior de Segurança Pública do Estado.

 

Ouvido pelo Guaraí Notícias, Adriano Carrasco confirmou que continuará em Guaraí, onde comandará a Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) do município e a Delegacia de Tabocão. “Não pretendo sair de Guaraí. Continuo como delegado de Polícia Civil na DEIC de Guaraí e na Delegacia de Tabocão, executando normalmente o meu trabalho”, disse.

 

O que diz o SINDEPOL

 

Em nota, o Sindicato dos Delegados de Polícia do Tocantins (SINDEPOL) repudiou as exonerações dos delegados regionais e atribuiu a atitude do Governo do Estado a uma clara tentativa de intimidação do trabalho investigativo da corporação, especialmente no caso de Araguaína, onde políticos ligados ao governador são alvo de investigações de grande repercussão.

 

O SINDEPOL informou que reunirá os delegados do Estado na próxima semana, com o objetivo de avaliar a decisão tomada pelo Governo do Estado, adotando medidas cabíveis. Para o presidente da entidade, Mozart Felix, causa profundo espanto e preocupação com o futuro do Tocantins a atitude tomada por seus representantes políticos, demostrando evidente perseguição política.

 

Justificativa do Governo do Estado

 

Em nota encaminhada a imprensa, o Governo do Estado justificou as exonerações afirmando que são “medidas para redução de despesas, visando o equilíbrio das contas públicas, cumprindo assim a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A nota justifica ainda que o governador e sua equipe implementam algumas medidas para a redução de gastos e que elas vão continuar.

 

Sobre a decisão administrativa de desligamento dos delegados regionais, o Governo do Estado reintegra que os profissionais continuarão seus trabalhos de investigação normalmente, sem qualquer interferência de cunho político. A nota ainda refuta qualquer tentativa de desvirtuamento do foco de suas medidas, que visam unicamente a redução de despesas e o equilibro das contas públicas.

 

Veja também:

 

Matéria publicada no dia 06/12/2018:

Adriano Carrasco volta ao comando da regional de Guaraí e assume também Pedro Afonso

https://www.guarainoticias.com.br/noticia/adriano-carrasco-volta-ao-comando-da-regional-de-guarai-e-assume-tambem-pedro-afonso

Compartilhe: