Anuncie neste site

Bairro com água “imprópria” volta a ser abastecido por caminhões pipa em Guaraí


Foto: Arquivo/Guaraí Notícias - Analises comprovaram que a água de um poço artesiano que abastecia o bairro era contaminada. Como a localidade não é integrada a rede da BRK Ambiental, moradores serão abastecidos por caminhões pipa.
Foto: Arquivo/Guaraí Notícias - Analises comprovaram que a água de um poço artesiano que abastecia o bairro era contaminada. Como a localidade não é integrada a rede da BRK Ambiental, moradores serão abastecidos por caminhões pipa.

Publicado em 21/02/2020 12:50 - Categoria: Notícia

Moradores do setor Pôr do Sol II em Guaraí voltaram a enfrentar nesta sexta-feira (21/02), a dura realidade de dependerem de caminhões pipa para conseguirem ter acesso a água em suas residências. O bairro, que não é integrado a rede da BRK Ambiental, fazia uso de um poço artesiano, mas a água no local foi considerada imprópria para consumo humano.

 

Em 2018 o Guaraí Notícias já havia mostrado esta situação. Na época, moradores cobravam uma solução e também reclamavam da água fornecida pelo poço artesiano, que possuía aspecto de suja, além de ser malcheirosa. Analises em laboratório, realizadas posteriormente, comprovaram que a água era de fato contaminada, inclusive por metais.

 

Nesta última quinta-feira (20/01), o juiz Manuel de Faria Reis Neto, que atua na 1ª Vara Cível de Guaraí, concedeu liminar, atendendo pedido do Ministério Público do Tocantins (MPE/TO), suspendendo o fornecimento da água do poço. O magistrado ainda determinou que a loteadora responsável pelo empreendimento solucione o problema em até 15 dias.

 

Até que uma solução definitiva não venha a ser adotada, ficou estabelecido que os moradores serão abastecidos por caminhões pipa ou por outros meios possíveis. Caso a determinação judicial não venha a ser cumprida, a Justiça determinou a aplicação de uma multa diária no valor de R$ 5 mil, podendo atingir até R$ 500 mil, lembrando a loteadora ainda pode recorrer.

 

Resposta da loteadora:

 

Após a publicação desta matéria, o Guaraí Notícias teve acesso a um documento emitido pela loteadora responsável pelo empreendimento, onde a mesma defende que o tratamento da água retirada do poço estava sendo efetuado de maneira adequada. No documento a loteadora afirma ainda que solicitará em juízo a realização de uma 2ª análise para demonstrar a qualidade da água.

 

CLIQUE AQUI e veja a integra da decisão judicial

CLIQUE AQUI e veja o documento emitido pela loteadora

Compartilhe: