Anuncie neste site

Adriano Carrasco volta ao comando da regional de Guaraí e assume também Pedro Afonso


Foto: Divulgação - Apesar de exonerado da função de Delegado Regional, Carrasco continuava trabalhando em Guaraí, onde era titular da Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) e da DP de Tabocão.
Foto: Divulgação - Apesar de exonerado da função de Delegado Regional, Carrasco continuava trabalhando em Guaraí, onde era titular da Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) e da DP de Tabocão.

Publicado em 06/12/2018 09:01 - Categoria: Policial

O Governo do Estado publicou na noite desta última quarta-feira (05/12), a nomeação de 10 delegados que vão comandar regionais da Polícia Civil. Exonerado da função no dia 16 de novembro, o delegado Adriano Carrasco foi novamente conduzido a regional de Guaraí, assumindo ainda funções administrativas em Pedro Afonso, já que a regional daquela cidade foi extinta.

 

O ato foi publicado 20 dias depois das "duvidosas" exonerações, apontadas como uma tentativa de interferência na condução de investigações que envolviam políticos ligados ao governador Mauro Carlesse (PHS). A regional de Araguaína, foco principal da polêmica, antes comandada pelo delegado Bruno Boaventura, agora está sob o comando do delegado Vladmir Bezerra de Oliveira.

 

Foto: Arquivo/Guaraí Notícias

Regional de Guaraí (foto), agora será agregada a de Pedro Afonso, extinta pelo governo.

 

Além da delegacia regional de Pedro Afonso, outras quatro unidades regionais também foram extintas (Alvorada, Araguatins, Arraias e Miracema do Tocantins). A medida, conforme justificado pelo governo, visa reduzir as despesas e promover o equilíbrio das contas públicas. As ações integram ainda um conjunto de medidas que atinge todas as secretarias e órgãos da estrutura de governo.

 

Apesar de exonerado, Carrasco continuava trabalhando em Guaraí, onde era titular da Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) e da DP de Tabocão. Vale destacar que nenhum delegado do Tocantins pode ser transferido aleatoriamente, graças a uma norma que garante a inamovibilidade da função, permitida apenas a pedido do profissional ou por decisão colegiada.

 

Nomes dos delegados nomeados:

 

Delegacia-Geral da Polícia Civil: Rossílio Correia

Diretor de Polícia da Capital: Raimundo Claudio de Paula Batista

Delegacia Regional de Araguaína: Vladmir Bezerra de Oliveira

Delegacia Regional de Tocantinópolis/Araguatins: Tiago Daniel de Morais

Delegacia Regional de Gurupi/Alvorada: Alcindo Augusto Celestino de Souza

Delegacia Regional de Porto Nacional: Pedro Henrique Félix Bernardes

Delegacia Regional de Guaraí/Pedro Afonso: Adriano Carrasco dos Santos

Delegacia Regional de Paraíso do Tocantins/Miracema do Tocantins: Bruno Monteiro Baeza

Delegacia Regional de Colinas do Tocantins: Olodes Maria Oliveira

Delegacia Regional de Dianópolis/Arraias: Márcio Duarte Teixeira

 

Nota de repúdio do SINDEPOL

 

Em nota de repúdio encaminhada a imprensa, o Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Tocantins (SINDEPOL) se mostrou preocupado com a extinção de delegacias no interior e classificou o ato como prejudicial, já que dificulta o trabalho em municípios mais distantes da sede regional. A entidade lembrou ainda que solicitou a manutenção das 13 regionais, reduzidas agora para 8.

 

“Hoje, com a publicação do DOE, fica claro o desrespeito do governo com a Polícia Civil, os delegados e toda a sociedade, demonstrado que nunca houve a real intenção de reforma administrativa na instituição, mas tão somente a vontade de dificultar os trabalhos investigativos da Polícia Civil. Querem nos fazer uma polícia de cabresto, mas não conseguirão”, destaca a nota.

 

CLIQUE AQUI e veja a íntegra da nota de repúdio do SINDEPOL.

Compartilhe: